sábado, maio 22

#historinhasdatialores

Capitulo 1 – Certas coisas deveriam acontecer antes.


Inspirado na música: Kerli - Love is dead


Mais um dia que eu chego no meu apartamento, está tudo desértico. Não tem vida exceto por alguns pássaros que entram pela janela pra comer as migalhas de pão que restaram do meu lanche.
É, a vida está meio descolorida nos últimos tempo. Fazem alguns meses que tudo perdeu a beleza. Você provavelmente sabe como é se apaixonar, e talvez até entenda como eu me sinto... mas eu não estava apaixonada e nem estou agora. Eu estou amando. E amando aquele que me ama.
Não é um amor racional, vou logo avisando. Eu conheci ele há uns bons seis meses, numa viagem a praia com alguns amigos. A gente conversou e passou uma tarde juntos.. saímos pra jantar, e conversamos mais. No outro dia, a mesma coisa. Enfim, foram três dia perfeitos e maravilhosos. Eu sabia que estava mais que apaixonada por ele. E no final do terceiro dia ele me contou o que sentia. Foi simplesmente... tudo. Nosso primeiro beijo, ficar até a madrugada observando estrelas. E no quarto dia, nada dele. Quinto dia, nada dele. Sexto dia, nada dele. Foi assim por mais uma semana.
Eu estava sofrendo muito, abraçada com um travesseiro, sentindo falta do calor dos braços dele, porque tudo começou a parecer um sonho confuso. E mesmo assim eu não conseguia deixar de acreditar em todas as coisas lindas que ele tinha visto. Eu sabia que eram verdade, um olhos daqueles olhos verdes tão penetrantes que você pode ler até sua alma... e ele pode ler a sua.
Foi quando eu descobri.. ele tinha se casado. Quando eu o conheci ele estava à quatro dias do seu maldito casamento. E agora ele tinha se casado. Isso me deixou em estado de choque. Mas pude retornar a ser um ser humano, pelo menos. Assim eu parava de pensar se ele estava morrendo, e começava a tentar esquecer dele. Mas isso não foi lá um sucesso, se é que me entende. Tanto é que eu ainda estou narrando o que aconteceu.
Eu me sinto vazia desde então. Antes eu sentia um calor dentro de mim, e entendia que ele me completava - se você acredita em almas gêmeas, em amor à primeira vista, eu não sei. Mas o fato é que isso é verdade.
E eu estava cansada de fingir estar bem, estava cansada de fingir pra todos que a Anne aqui é normal.
Então acho que não me resta muitas alternativas. Eu já desisti de tudo mesmo. Alias, desistir não, foi mais como uma tentativa adiada.
ISSO, uma tentativa adiada. Mas, adiada pra quando?
Já fazem seis meses...
E se..? E se agora fosse a hora de retomar minha tentativa de seguir com a minha vida ? O problema é que pra isso eu preciso ter certeza de que ele nunca me amou, só então eu vou conseguir ir em frente.
Fui até o telefone e disquei.

- Alô, aí é do aeroporto? Isso, querida, eu quero uma passagem...





Lorena says:  leiam o post de baixo pra poder entender as coisas melhor, por favor

Um comentário:

TeXuco disse...

*0*
Linda a história, não pare, quero acompanhar *----*
Beijos